A exposição inadequada ao sol, sem a devida proteção, pode ocasionar diversos problemas de saúde, principalmente, na pele. Sendo assim, é fundamental estar atento a todas das recomendações médicas para prevenir sua pele de sérias complicações.

Uma das mais comuns é o melasma. Essa doença mexe com a autoestima das pessoas e faz com que elas sintam-se mais velhas Mas você sabe o que é melasma? É isso que vamos explicar neste artigo.

Além disso, também explicaremos quais são as principais causas e tratamentos. Quer saber mais? Então não deixe de ler este post até o final!

O que é melasma?

O melasma é uma hiperpigmentação da pele que decorre em razãodo estímulo exagerado do melanócito que é a célula responsável pela produção da melanina, proteína responsável pela coloração da pele e também pela proteção contra danos ocasionados pela radiação ultravioleta.

Em suma, o melasma caracteriza-se pelo surgimento de manchas escuras na pele. Normalmente, essas manchas aparecem no rosto, mas também podem se desenvolver em outras partes do corpo que ficam expostas ao sol, como colo, pescoço e braços.

Apesar de o melasma também se desenvolver em homens, essa doença é mais comum em mulheres com a faixa etária entre 20 e 50 anos. O tamanho das manchas variam muito. Existem casos em que elas chegaram a preencher completamente ambos os lados da face do portador da doença.

Existem 3 tipos de melasma, os quais explicaremos a seguir. Acompanhe:

Melasma epidérmico

Esse tipo de melasma é mais superficial. Isso porque o depósito de melanina se concentra nas camadas suprabasais e basais da epiderme, em consequência disso, o tratamento do melasma epidérmico torna-se mais simples.

Melasma dérmico

O melasma considerado dérmico ocorre quando as manchas de melanina alcançam a derme profunda e superficial. Em virtude disso, ele pode se concentrar próximo aos nervos, vasos sanguíneos e estruturas anatômicas.

Melasma misto

Quando os depósitos de melanina (dérmico e epidérmico) coabitam o mesmo tecido, ocorre o que chamamos de melasma misto.

Quais são as causas?

Não podemos dizer que existe uma causa definida para o surgimento do melasma, a causa é multifatorial. É importante frisar que o desenvolvimento dessa doença está relacionada, principalmente, à exposição ao sol, pois a luz ultravioleta estimula as células responsáveis por produzir a melanina.

Além disso, os fatores hormonais, uso de medicações (como o anticoncepcional), predisposição genética e gravidez também podem colaborar para o surgimento do melasma.

A maioria das pessoas que desenvolveram o melasma, apresentam um histórico de exposição solar. Além disso, o calor também afeta bastante. Por exemplo: em dias muito quentes, quando você deixa seu carro parado em algum lugar e entra novamente nele, você sente aquele calor insuportável, não é mesmo? Isso chama-se radiação e também interfere nas manchas.

É válido ressaltar que as mulheres que apresentam tons de pele mais escuros são mais propensas ao surgimento do melasma.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma do melasma é o escurecimento da pele na região do rosto, colo e braços — áreas que ficam mais expostas ao sol. Essas manchas podem variar de acordo com o tom da pele e, normalmente, são acastanhadas.

As manchas podem se desenvolver nas têmporas, no maxilar, nariz, testa e maçãs do rosto. Dependendo dos fatores que desencadearam a doença, é possível que as manchas aumentem e diminuam de tamanho e intensidade.

Os sintomas do melasma não apresentam dor, coceira ou ardência. É importante frisar que o melasma é uma disfunção benigna. Lembre-se de que prestar atenção em detalhes como esses é essencial para garantir uma melhor qualidade de vida.

Quais são os tratamentos?

Os tratamentos para melasma podem variar, por esse motivo, é de suma importância que você procure um profissional da área, para que ele possa avaliar o seu caso e indicar quais são os procedimentos necessários para combater a doença.

Inicialmente, ele explicará a necessidade da proteção contra os raios solares, enfatizando a importância de aplicar o protetor solar com FPS mínimo de 30, principalmente nas regiões do rosto e corpo que ficam mais expostas ao sol. Na hora de escolher seu protetor, dê preferência para adquirir aqueles que oferecem proteção contra os raios UVA e UVB (Ultravioleta A e B).

Cremes clareadores a base de ácido glicólico, retinóico, azelaico, hidroquinona entre outras substâncias, podem ser utilizados para auxiliar na remoção das manchas. Os resultados desse tipo de tratamento começam a aparecer cerca de 15 dias depois.

Porém, é necessário frisar que esse procedimento não funciona em todas as pessoas. O tratamento precisa ser contínuo , pois é uma condição crônica que não apresenta cura.

O dermatologista também pode optar por tratar o melasma com o peeling, clareando a pele de maneira gradual. Essa técnica oferece resultados mais rápidos que os cremes.

O laser também é uma técnica usada para tratar o melasma, mas se você for realizar esse procedimento, é importante verificar se o profissional é reconhecido no método, pois ele precisa aplicá-lo corretamente para não piorar o aparecimento das manchas. Muitos lasers agravam ou desencadeiam o melasma ao invés de melhorá-lo.

Recentes estudos mostram que o uso de ácido tranexâmico ajudam a melhorar o componente vascular do melasma, melhorando assim a mancha como um todo. Este medicamento não pode ser utilizado em qualquer pessoa, devendo ser prescritos por profissionais habilitados. Podem levar a inúmeros efeitos colaterais.

Como se prevenir do melasma?

O uso diário do protetor solar é essencial para você se prevenir do melasma. Mas, se você se enquadra nos fatores de riscos aqui apresentados, os cuidados precisam ser ainda maiores.

A principal atitude é evitar a exposição aos raios solares e utilizar o protetor adequado para proteger as áreas expostas. Essa aplicação deve ser realizada várias vezes ao longo do dia. Além disso, também é importante sempre utilizar chapéus, viseiras e tecidos da proteção solar

Um detalhe interessante: você sabia que, nesses casos, quanto mais maquiagem você usar é melhor? Isso mesmo! Isso porque os pigmentos contidos na maquiagem também ajudam a repelir a luz visível, protegendo ainda mais essa região que fica mais exposta.

Agora que você já sabe o que é melasma, é fundamental ficar atenta a cada informação aqui apresentada para evitar complicações futuras. Lembre-se de que a sua saúde sempre deve vir em primeiro lugar, por isso, não deixe de cuidar bem dela!

Quer ter acesso a mais conteúdos relevantes como este? Então acesse nosso site siga-nos nas nossas redes sociais e acompanhe nossas novidades diariamente. Estamos no Facebook e Instagram!

Autor

Escreva um comentário

Agende sua consulta
Share This