A indústria de cosméticos tem nos ajudado a melhorar nossa autoestima, com soluções para a maior parte dos problemas. Os itens mais procurados são os ácidos para clarear a pele, que funcionam de diversas formas.

Existem aqueles que reduzem as manchas, os indicados para quem tem cicatrizes causadas por acne e, até mesmo, os ideais para amenizar estrias avermelhadas.

Mas qual tipo de ácido é indicado para cada problema? Como é a ação de cada um deles em nossa pele?

A seguir, selecionamos 7 dos ácidos mais utilizados e indicados por dermatologistas, explicamos como cada um age e exemplificamos para quais problemas são indicados. Confira!

1. Ácido retinoico

Não tem jeito: mesmo usando protetor solar, nossa pele acaba sofrendo os danos com a radiação ultravioleta do sol, que estimula a produção de substâncias que roubam o colágeno de nosso rosto. Essa ação causa o aparecimento de rugas, linhas de expressão, hiperpigmentação, sardas e manchas, além de mudar a textura da cútis.

O ácido retinoico, de vitamina A, é um dos compostos mais utilizados para tratar o fotoenvelhecimento da pele e, também, amenizar os sinais causados pela acne. Ele faz com que as novas células cheguem mais jovens, nutridas e oxigenadas à superfície. Além disso, estimula a produção de colágeno dos tipos 1 e 3.

O ponto positivo deste produto é que ele pode ser utilizado em conjunto com outros tipos, como o ácido hialurônico. Mas cuidado — nunca use o ácido retinoico junto com o glicólico ou o mandélico. Também não faça uso contínuo do composto, já que ele pode causar sensibilidades crônicas na pele, como rosáceas e vasinhos.

2. Ácido fítico

Trata-se de um ácido encontrado em sementes e grãos naturais, como arroz, aveias e cereais. Ele age sobre as enzimas que produzem a melanina, sendo muito utilizado como despigmentante. Além disso, tem ação anti-inflamatória, hidratante e antioxidante, combatendo os radicais livres do envelhecimento precoce.

Apesar de ser um ácido muito potente, ele tem o diferencial de poder ser usado em peles muito claras que já passaram por procedimentos estéticos, em pessoas jovens e em quem tem a pele sensível, já que apresenta propriedades hidratantes.

3. Ácido kójico

Este é um tipo de ácido extraído de um cogumelo japonês, chamado Koji, muito usado na fermentação do arroz para a produção de saquê. Sua grande vantagem é não ser fotossensível, ou seja, não causar manchas quando a pessoa expõe a pele ao sol durante o tratamento.

Trata-se de um excelente despigmentante e, também, de um ótimo item para eliminar espinhas, já que sua ação é antisséptica, impedindo a proliferação de bactérias e fungos na pele. Além disso, tem uma ação antioxidante, retardando o envelhecimento precoce da cútis.

Mas sua ação é um pouco mais demorada. Portanto, você deve ter paciência ao fazer o tratamento com este ácido: por ele ser menos potente do que os outros tipos, os resultados costumam demorar um pouco mais para aparecer.

4. Ácido ascórbico

Com a aplicação do ácido ascórbico, a pessoa alcança níveis de vitamina C que não seriam possíveis nem com a ingestão de suplementação alimentar. Trata-se de um poderoso antioxidante, que combate a ação de radicais livres.

Além disso, estamos falando do responsável por estimular a formação de colágeno e proteger a pele dos efeitos do sol (por isso, é indicado para uso no verão). Ele uniformiza o tom da pele, melhora sua textura, diminui as rugas, apresenta atividade imunoprotetora e ajuda a clarear manchas.

As fórmulas indicadas por dermatologistas visam manter a estabilidade da vitamina C, que acaba perdendo seus benefícios quando exposta ao oxigênio, ao calor e a fontes de iluminação.

5. Ácido azelaico

Este ácido é muito utilizado em peelings faciais, promovendo a renovação das células da pele por meio da escamação. Ele é indicado para quem apresenta manchas e acne, também podendo ser usado por gestantes no combate ao melasma.

O ácido azelaico traz muitos benefícios para a pele, tendo uma ação seborreguladora, antibacteriana, antimicrobiana e anti-inflamatória. Trata-se, também, de um ótimo secativo e clareador de espinhas e manchas causadas por elas.

6. Ácido mandélico

É um tipo de alfa hidroxiácido e tem moléculas grandes, o que o torna muito seguro de usar. Ele atua principalmente na prevenção do envelhecimento precoce, na diminuição de manchas e no controle da acne. Seu grande diferencial é ser seguro para todo o corpo e, por isso, pode ser utilizado para combater manchas em outros locais, não apenas no rosto.

Ele equilibra o processo de renovação epitelial e age diminuindo o fotoenvelhecimento logo nas primeiras vezes de uso. Para quem deseja diminuir rugas e marcas de expressão, sua aplicação deve ser prolongada.

7. Ácido glicólico

Trata-se de um grande aliado de quem apresenta manchas causadas por acne e estrias. Assim como o mandélico, este também é um alfa hidroxiácido, mas sua ação é muito mais potente que a do primeiro.

Ele penetra na cama córnea da pele. Em concentrações de até 4%, é um ótimo hidratante; mas, acima disso, tem ação esfoliante e renovadora celular. Com a quebra celular, a primeira camada da pele, ele deixa a camada córnea (camada de queratina) aberta para receber todos os benefícios do ácido.

Por promover a descamação da pele, o ácido glicólico favorece o processo de renovação celular, sendo um estimulador da produção de colágeno tipo 1 e 3. É muito indicado para:

  • o rejuvenescimento;
  • os casos de acne;
  • as cicatrizes causadas pela acne;
  • o tratamento de estrias avermelhadas.

Mas é preciso tomar cuidado, pois o ácido glicólico deixa a pele mais sensível e, após sua aplicação, é importante utilizar um protetor solar indicado para seu tipo de pigmentação. Caso você exponha sua pele ao sol, ela ficará vermelha, mais sensível e, até mesmo, poderão surgir manchas no local.

É importante lembrar que nenhum tratamento com ácidos para clarear a pele deve ser iniciado sem o acompanhamento de um profissional. Apesar de muitos deles parecerem inofensivos, tais itens são capazes de causar reações irreversíveis quando utilizados no tipo de pele para o qual não são indicados.

Gostou de nossas dicas sobre ácidos para clarear a pele? Que tal seguir-nos nas redes sociais para acessar nossos conteúdos sempre em primeira mão? Estamos no Instagram e Facebook.Até a próxima!

Autor

Escreva um comentário

Agende sua consulta
Share This