Autor

Thais Pepe

Browsing

Beautification: saiba mais sobre esse tratamento facial

O avanço da tecnologia aplicada aos procedimentos estéticos tem levado ao surgimento constante de novas técnicas e procedimentos cada vez mais práticos, seguros e eficazes, como o beautification. O mercado estético tem crescido de forma exponencial, o que impulsiona ainda mais o investimento na área.

Constantemente, novos tratamentos são criados e otimizados com foco no rejuvenescimento, emagrecimento, embelezamento e outras abordagens estéticas. O público está sempre em busca das técnicas dermatológicas mais modernas, eficazes e, de preferência, menos invasivas.

Para que você fique por dentro das novidades do mundo da estética, falaremos no texto de hoje sobre o procedimento estético beautification. Acompanhe!

O que é o beautification?

O beautification é um procedimento estético de tratamento facial que se baseia no conceito de embelezamento através da simetria. Esse conceito surgiu de estudos que mostram que a beleza depende de simetria, proporções e ângulos considerados ideais para o rosto. 

Ele busca criar uma harmonia no rosto, deixando-o com aspecto mais atraente, mais leve e menos cansado. O procedimento busca justamente o contrário de outros mais antigos, realizados com a toxina botulínica, por exemplo, que busca esconder as rugas da pessoa e pode deixar o rosto com aspecto até distorcido.

A principal ideia é realçar as características naturais do rosto da pessoa, destacando os pontos mais favoráveis e suavizando aqueles menos favoráveis, além de corrigir assimetrias existentes. Para resultados satisfatórios, é necessário o uso de produtos de preenchimento de qualidade e um olhar artístico do profissional médico que realiza o procedimento.

O conceito já é bastante utilizado entre os dermatologistas das famosas, em substituição ao conceito de rejuvenescimento forçado, muito propagado no ocidente.

Qual a relação entre simetria e beleza?

Como citamos, o conceito de beautification se baseia na premissa de que a beleza está diretamente relacionada com proporções, medidas e ângulos bem específicos. 

O Centro Britânico de Estética Facial divulgou na Revista Vogue a lista das 20 mulheres mais bonitas do mundo. O que se pode notar de semelhança entre todas elas é a simetria presente nos dois lados do rosto, além do padrão de proporções entre uma parte e outra da face. 

Além disso, seus rostos apresentam ângulos bem definidos, contornos impecáveis e não têm partes exageradas, como olhos ou boca muito grandes. 

Isso significa que a beleza não está necessariamente relacionada a tipos específicos de nariz, boca ou olhos. Ela está relacionada, principalmente, à relação e proporção dessas estruturas no rosto. São justamente esses aspectos que podem ser melhorados e ressaltados por meio do conceito de beautification.

Como funciona o procedimento?

O primeiro passo para a aplicação do conceito de beautification inclui a realização de técnicas como Managing Aesthetic Patients (MAP) e MD codes. Através delas, é possível realizar um mapeamento de pontos específicos de sustentação da face, para o posterior preenchimento com ácido hialurônico ou toxina botulínica. Essas duas substâncias utilizadas previnem os sinais de envelhecimento e reduzem as rugas.

Outros tratamentos faciais também podem ser realizados para alcançar os resultados esperados do beautification, como radiofrequência, microagulhamento e fototerapia. Em qualquer um deles, é necessário que o médico avalie o rosto como um todo e pense em um rejuvenescimento facial global, e não apenas uma aplicação de botox localizada. O objetivo é harmonizar a face de uma forma natural, sem a necessidade de cirurgias e com procedimentos minimamente invasivos.

O profissional deve realizar um estudo detalhado das proporções da face para compreender o que é necessário para alcançar a harmonia em cada parte do rosto (olhos, boca, queixo, nariz, maçãs, bochecha, sobrancelhas e testa).

Especialistas na área definiram os 3 principais focos de atuação no uso do conceito de beautification para a face:

  1. bochecha: aplicação dos produtos de preenchimento em 3 pontos da bochecha, que provocam uma elevação sutil, um pequeno aumento do volume da bochecha e uma melhora da definição lateral da bochecha;

  2. linha da mandíbula: aplicação dos produtos de preenchimento no início da mandíbula (mais próximo da orelha), com maior definição da linha do maxilar, melhora da aparência das linhas nasolabiais e rejuvenescimento da parte inferior do rosto, além de elevação do queixo;

  3. parte inferior da face e queixo: aplicação dos produtos de preenchimento no queixo, ao lado e acima da boca, levando a um efeito de elevação do canto dos lábios e redução de linhas de expressão próximas a boca. Pode também ser utilizado para aumento do volume do queixo.

Quais as indicações do beautification?

O beautification é a era na qual profissionais e clientes não procuram mais esconder e eliminar as rugas, e sim torná-las mais suaves e harmoniosas na face de cada pessoa. Trata-se de um procedimento estético que pode ser realizado por pessoas de diferentes idades com diferentes demandas, pois reúne mais de uma técnica de estética.

A premissa é que a pessoa deseje um resultado mais natural, que valorize a sua beleza natural e torne o rosto mais suave e harmonioso. Ao realizar o procedimento, você deve estar ciente que o tratamento não leva a mudanças drásticas e resultados não naturais, e sim a resultados suaves e mais naturais.

As contraindicações são as mesmas relacionadas ao uso de produtos de preenchimento ou outros procedimentos utilizados no processo de beautification. Surgido no oriente, o beautification é um conceito que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado estético atual, principalmente entre as pessoas que desejam uma aparência mais jovem porém sem ser artificial. Entretanto, é importante que você procure um profissional especializado para um tratamento seguro e eficiente.

Gostou desse conteúdo? Que tal compartilhá-los com seus amigos nas redes sociais? Ah, aproveite e entre em nosso site e conheça nossas soluções. Até a próxima.

 

 

3 dicas de como perder gordura localizada e entrar em forma

O desejo de ficar em forma é um fator em comum para grande parte das pessoas, independentemente do sexo ou da idade. Principalmente nos dias atuais, não só pela questão estética, as pessoas estão buscando um corpo em forma como um dos pilares para um estilo de vida saudável e equilibrado.

Nesse contexto, podemos apontar a gordura localizada como uma das grandes vilãs de quem deseja ficar em forma. Isso porque ela aparece em locais específicos do corpo e traz grande desconforto para algumas pessoas. 

Se você quer conquistar o corpo dos sonhos e uma qualidade de vida mais saudável, não deixe de conferir o nosso post com algumas dicas de como perder gordura localizada. 

O que é a gordura localizada?

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) define que a gordura localizada, também conhecida como lipodistrofia localizada, é formada pela aglomeração de tecido adiposo em regiões específicas do corpo. As principais regiões afetadas são aquelas consideradas mais flácidas, como culotes, barriga, braços e região abaixo do queixo (conhecida como papada).

A gordura localizada não é considerada uma doença, mas a obesidade, que muitas vezes está associada, já é uma doença que precisa de tratamento e acompanhamento. Por isso, é comum que as pessoas que a apresentam se sintam incomodadas quando utilizam tipos específicos de roupas que deixam as regiões com concentração mais destacadas.

Quais são as suas causas?

O acúmulo de tecido adiposo e os locais onde ele se deposita estão relacionados com a predisposição genética da pessoa, seus hábitos alimentares, a prática de exercício físico e sua postura corporal. De forma geral, podemos afirmar que as principais causas do surgimento da gordura localizada são:

  • consumo excessivo de alimentos gordurosos e ricos em carboidratos brancos;

  • histórico de lipodistrofia ou excesso de peso na família (componente hereditário);

  • sedentarismo (falta de prática de atividade física);

  • má postura (o que pode fazer com que a barriga fique projetada para frente, por exemplo).

De uma maneira geral, os homens tendem a acumular mais na região abdominal, enquanto que as mulheres apresentam uma maior quantidade nas coxas, quadril e glúteos.

É importante destacar que a gordura localizada também pode trazer más consequências para a saúde das pessoas. Por exemplo, o excesso de tecido adiposo na região abdominal (principalmente nos homens) está relacionado ao surgimento de doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial e infarto.

Como perder gordura localizada?

Agora que você entendeu o que é a gordura localizada e quais são as suas causas, listamos algumas dicas de como se livrar desse problema.

1. Prática de exercícios

Como citamos, o sedentarismo é uma das principais causas da gordura localizada. Por isso, a prática de exercícios de forma regular pode ser uma ferramenta poderosa para eliminar o acúmulo de tecido adiposo, pois é uma forma de reduzir uma das causas.

Uma combinação de exercícios diferentes pode ser utilizada para auxiliar na perda de tecido adiposo. Os exercícios aeróbicos são importantes pois utilizam predominantemente a gordura como fonte de energia, isto é, ajudam a queimá-las.

Porém, é importante lembrar que a gordura é eliminada do corpo como um todo, e não apenas da região que está localizada. Por isso, os exercícios aeróbicos devem ser combinados com exercícios de definição muscular.

Uma indicação atual para as pessoas que desejam perder peso e acabar com a gordura localizada são os treinos intervalados de alta intensidade, conhecidos como HIIT. Esses exercícios são de curta duração e com esforço físico elevado, combinando atividades aeróbicas, de força e resistência muscular.

A principal vantagem do HIIT é que ele contribui muito para a queima de gordura, além de fazer o metabolismo ficar acelerado até minutos ou horas depois que o exercício já foi encerrado.

2. Alimentação saudável

Todo mundo sabe que a alimentação é a principal aliada para perder peso ou se manter em forma, o que não é diferente na hora de perder gordura localizada. Acredita-se que a estratégia mais eficaz é a de reeducação alimentar, no lugar de dietas extremas que não podem ser mantidas na vida da pessoa a longo prazo.

É importante lembrar que todo o esforço feito em horas de exercícios e academia pode ser rapidamente perdido se as escolhas alimentares não forem bem-feitas. As principais dicas de alimentação para perder a gordura localizada são:

  • reduzir ou eliminar o consumo de alimentos ricos em açúcar, gorduras saturadas e carboidratos simples (pães, bolos, massas);

  • ingerir grandes quantidades de alimentos com fibras diariamente (leguminosas, grãos, farelos, farinhas integrais, vegetais, frutas);

  • quando for consumir gorduras, escolher as “boas”, como: azeite, óleo de coco, abacate;

  • reduzir o consumo de álcool;

  • ingerir chá-verde diariamente, pois ele ajuda a acelerar o metabolismo.

3. Tratamentos estéticos

Uma alternativa para pessoas que desejam perder gordura localizada de forma mais rápida ou não conseguem perdê-la só com a alimentação e exercício é a procura por tratamentos estéticos.

É importante lembrar que os tratamentos não são utilizados para “tratar” sobrepeso e obesidade, e não substituem um estilo de vida saudável. O que acontece é que, muitas vezes, o fator hereditário é relevante e até as pessoas mais magras apresentam gordura localizada. Alguns dos processos estéticos são:

Criolipólise

Aparelho utiliza temperaturas baixas para congelar a camada gordurosa e eliminar a gordura localizada, pois o frio quebra as células de gordura. O método pode ser utilizado em regiões do corpo que se adaptem ao aparelho;

Endermologia 

Aparelho faz uma espécie de sucção na área tratada, o que gera o rompimento ou remodelamento das células de gordura do local. O método também é utilizado para tratamento de celulite, contorno de silhueta e remodelamento após cirurgia;

Lipocavitação

Realizada por meio de um aparelho de ultrassom que emite ondas de baixa frequência que provocam cavidades nas células de gordura, causando seu rompimento e eliminação. O paciente deve ser criteriosamente avaliado antes de realizar esse procedimento.

Aprender como perder gordura localizada é o desejo de muitas pessoas que sofrem e se incomodam com o problema, mas é preciso lembrar-se também que a mudança de hábitos deve ser sustentada ao longo do tempo, para que os resultados sejam duradouros.

E você, sabe de mais alguma dica que ajude a perder a gordura localizada? Então deixe um comentário no post de hoje e compartilhe conosco e com os outros leitores! Aproveite e entre em nosso site e veja como podemos te ajudar.

Conheça alguns dos tratamentos para varizes e vasinhos

As varizes e os vasinhos dilatados que surgem nos membros inferiores são uns dos problemas estéticos mais comuns que levam as pessoas a buscarem tratamentos em clínicas especializadas. É mais frequente que eles apareçam na população feminina, mas os homens também podem apresentar essa complicação.

Entender o que são as varizes, quais suas causas e tratamentos é uma questão importante para quem tem o problema, pois suas implicações podem ir além da estética.

Se quer saber mais sobre o assunto, acompanhe o texto de hoje e conheça o tratamento para varizes ideal para você.

O que são as varizes?

As varizes são veias dilatadas e tortuosas que se desenvolvem principalmente nas pernas e pés e indicam uma insuficiência venosa de algum grau. Para entender melhor, primeiro é preciso entender como as veias dos membros inferiores trabalham.

O sangue é bombeado para o corpo por meio das artérias, que pulsam no ritmo da frequência cardíaca. Após ser utilizado pelos tecidos, o sangue deve ser enviado de volta para o coração, por meio do trabalho das veias. As veias não pulsam, por isso necessitam de outro mecanismo para vencer a gravidade, que são as válvulas. Elas permitem o retorno venoso até o coração e impedem que o sangue reflua.

Alguns fatores fazem com que essas válvulas fiquem incompetentes, de forma que o sangue não retorna totalmente e “fica parado”, o que causa a dilatação das veias. As varizes que vemos nas pernas são as veias periféricas dilatadas, que são facilmente visualizadas. 

Quando são múltiplas, podem indicar a presença de insuficiência venosa crônica. Nesse caso, pode estar presente também sensação de cansaço e peso nas pernas, edemas, escurecimento da pele, dor local e até mesmo surgimento de lesões e infecções na pele.

Quais as suas causas?

O surgimento de varizes é considerado um problema comum, que está presente em grande parte da população, principalmente com o avançar da idade. Os principais fatores de risco que estão relacionados com as varizes são:

  • sexo feminino: alguns hormônios sexuais femininos, como a progesterona, levam ao dilatamento das veias e contribuem para o aparecimento de insuficiência venosa;
  • idade avançada: quanto mais velha a pessoa, mais desgastada ficam as paredes das veias;
  • obesidade: quanto maior o peso, maior a pressão que é exercida sobre as veias dos membros inferiores;
  • histórico familiar: pessoas com histórico de varizes na família têm maior chance de apresentar o problema;
  • gravidez: a gestação aumenta a chance de varizes devido ao crescimento dos níveis hormonais, aumento do volume sanguíneo circulante e compressão das veias intra-abdominais pelo útero gravídico;
  • sedentarismo: o exercício físico auxilia no retorno venoso e a falta dele pode prejudicar o processo;
  • tabagismo: o consumo de cigarro afeta a integridade da parede dos vasos sanguíneos, tornando-os mais propensos ao desgaste;
  • pílula anticoncepcional: relacionado ao fator hormonal;
  • trauma nos membros inferiores: os traumas que atingem as veias das pernas podem torná-las mais fracas e com maior chance de dilatação;
  • ficar parado em pé ou sentado com as pernas dobradas por muitas horas.

Quais os tipos de tratamento para varizes?

Existem diversos tipos de tratamentos para varizes. Listamos alguns a seguir.

Escleroterapia

A escleroterapia é um tratamento utilizado para varizes de tamanho pequeno, que representam apenas um problema estético, sem comprometimento funcional. O procedimento consiste na injeção de uma substância que causa destruição e cicatrização da veia selecionada para o tratamento.

O vaso é então eliminado posteriormente pelo próprio corpo, e o retorno venoso que era realizado por ele passa a ser feito por veias colaterais ou veias mais profundas. Existem 3 tipos de escleroterapia:

  • escleroterapia com glicose: injeção de glicose hipertônica diretamente na veia, causando irritação e inflamação do vaso, o que leva ao seu fechamento. Utilizada em vasos de até 2 milímetros;
  • escleroterapia com espuma: injeção da mistura de polidocanol com ar diretamente em veias de até 4 milímetros. Em apenas uma aplicação é possível ver os efeitos;
  • escleroterapia com laser: o laser é posicionado sobre a veia varicosa e aumenta a temperatura até causar uma irritação e fechamento do vaso. Indicada para vasos de menor calibre.

Cirurgia com laser

A cirurgia com endolaser é considerada um procedimento um pouco mais complexo, que deve ser realizado em ambiente hospitalar, e não em consultório, como os métodos já citados. Ela é indicada para o tratamento de varizes em vasos calibrosos, como a veia safena. A cirurgia acontece nas seguintes etapas:

  • inserção de uma sonda na veia a ser tratada;
  • disparo de energia luminosa pela sonda que foi inserida;
  • cauterização do vaso.

Cirurgia convencional

A cirurgia convencional para o tratamento de varizes consiste na retirada dos vasos defeituosos e é normalmente indicada para varizes na veia safena. O procedimento é realizado sob anestesia, durante o qual o cirurgião realiza uma incisão na virilha e outra no tornozelo.

A veia safena é identificada nesses pontos e isolada, com a inserção de um cabo ao longo de toda a veia, para a realização da ligadura e corte, com posterior extração.

É importante lembrar que existem alguns cuidados que auxiliam nos resultados do tratamento e previnem o ressurgimento do problema, como:

  • uso de meias elásticas de compressão, principalmente em situações nas quais a pessoa fica muito tempo em pé ou muito tempo sentado com as pernas dobradas;
  • elevamento dos membros inferiores acima do nível do coração, por 15 minutos, diariamente, para auxiliar no retorno venoso;
  • prática de exercício físico regular;
  • controle do peso;
  • avaliação da possibilidade de não utilizar pílula anticoncepcional.

As varizes são problemas estéticos comuns que costumam trazer muitos incômodos, mas podem também estar relacionadas a questões de saúde. Por isso, é sempre importante procurar um especialista e se informar sobre o tratamento para varizes disponível e indicado para cada caso.

E aí, gostou do texto de hoje? Que tal então assinar a nossa newsletter e receber diretamente no seu e-mail mais conteúdos como este? Aproveite para visitar o nosso site para conhecer outros tratamentos estéticos.

 

Veja como surgem as manchas na pele negra e como tratá-las

As manchas na pele negra são muito comuns, mesmo sendo admirada por ser mais firme e não mostrar tantos sinais de envelhecimento. A pele é o maior órgão do corpo humano e fica exposto diariamente às agressões ambientais, como poluição e luz solar. Por isso, necessita de cuidados especiais para manter-se saudável e com boa aparência.

Rotinas diárias de limpeza, tonificação e hidratação — principalmente para o rosto, que é a região mais sensível — não podem faltar. E os diferentes tipos de pele também exigem cuidados específicos. Para lhe ajudar, elaboramos este post sobre como surgem as manchas na pele negra e como tratá-las. Confira!

Quais as diferenças entre os tons de pele?

Além da diferença de tom, a pele branca e a negra têm estruturas que justificam a necessidade de cuidados diferenciados para cada uma. A primeira diferença diz respeito à quantidade de melanina, que é o pigmento da pele — a negra contém mais dessa proteína do que a branca, o que predispõe ao surgimento de manchas hiperpigmentadas na pele.

Em contrapartida, a maior pigmentação confere uma proteção natural contra a radiação solar, além de reduzir os efeitos do fotoenvelhecimento e minimizar o aparecimento de rugas e a flacidez. Outro ponto é que a cicatrização da pele negra está mais associada ao surgimento de queloides, devido ao aumento da atividade dos fibroblastos.

Os níveis de oleosidade também são diferentes: a pele negra costuma ser mais ressecada no corpo e mais oleosa no rosto, enquanto que a branca geralmente tem mais uniformidade nesse sentido. Isso faz com que, normalmente, as pessoas negras sejam mais acometidas pela acne.

O que causa manchas na pele negra?

Como citamos, a pele negra apresenta maior quantidade de melanina, mais especificamente a eumelanina, que produz pigmentos acastanhados. Essa proteína tem a capacidade de causar uma hiperpigmentação em qualquer parte do corpo, principalmente no rosto, axilas, joelhos, cotovelos e virilhas, que são as áreas mais expostas às intervenções externas, como atrito de roupas ou ação do clima.

Dessa forma, qualquer agressão, irritação ou inflamação que acomete a pele negra pode resultar no aparecimento de áreas escuras. As principais causas que levam ao surgimento das manchas são:

  • marcas de acne;

  • foliculite;

  • pelos encravados;

  • queimaduras;

  • procedimentos cirúrgicos;

  • procedimentos estéticos (peeling, depilação);

  • reação a produtos de cuidado para pele mais abrasivos.

Como evitar que as manchas apareçam?

Alguns cuidados especiais podem ser tomados para evitar o surgimento de manchas na pele negra. Veja!

Protetor solar

A pele negra apresenta proteção natural contra a radiação solar, mas isso não significa que as pessoas com esse tom de pele não necessitam de cuidados extras. Recomenda-se o uso diário de protetor solar especial para o rosto com fator 15, mesmo em dias nublados e em ambientes fechados. Deve-se reforçar a cada duas horas, para evitar manchas de queimadura solar.

Limpeza

O maior nível de oleosidade da pele negra está relacionado ao surgimento da acne, que pode posteriormente causar o aparecimento de manchas escurecidas. Por isso, recomenda-se o uso de sabonetes antioleosidade para limpeza facial duas vezes ao dia, seguido do uso de tônicos especiais para essa área do corpo.

Hidratação

Apesar de o rosto ser mais oleoso, ele ainda precisa de hidratação. A pele negra tem uma epiderme mais espessa que a protege de agressões externas, porém também impede que todos os componentes dos hidratantes sejam devidamente absorvidos. Por isso, recomenda-se o uso diário de cremes, principalmente nas regiões mais secas, e deve-se evitar banhos muito quentes, pois eles ressecam mais a pele.

Produtos específicos

Alguns outros produtos podem ser utilizados para a prevenção das manchas na pele negra, como os que contém os ativos de vitamina C, alfa-hidroxiácidos, ácido fítico, arbutin, phe-Resorcinol e ácido kójico. É importante priorizar os menos abrasivos, a fim de evitar reações e irritações na pele que possam levar ao surgimento de manchas.

Como tratar as manchas na pele negra?

Se você já tem manchas e quer saber como tratá-las, temos uma boa notícia: existem alguns produtos e tratamentos que ajudam a minimizar o escurecimento de pequenas áreas. Confira alguns!

Cremes clareadores

Alguns cremes podem ajudar no clareamento das manchas na pele negra ou em sua prevenção. Os produtos com ativo niacinamida são bem-vindos, pois a substância presente neles ajuda na regulação da produção da melanina. Sua ação é a de equilibrar a transferência do pigmento para a parte superior da pele, o que favorece a uniformização do tom da pele do rosto.

Peeling químico 

Esse tratamento consiste na aplicação do ácido retinóico, também conhecido como vitamina A, com o intuito de promover a descamação progressiva da derme e estimular a produção de diferentes tipos de colágeno. Os resultados do peeling químico incluem:

  • uniformização do tom da pele do rosto;

  • clareamento de manchas;

  • reorganização das fibras elásticas danificadas pela exposição solar;

  • melhora da irrigação e hidratação da derme.

Laser

É preciso cuidado para a aplicação desse tratamento, justamente devido à grande quantidade de melanina na pele negra — um laser mais agressivo pode até levar ao aparecimento de novas manchas. Existem aparelhos especialmente indicados para esse tipo de pele, com tecnologias que privilegiam a maior penetração da luz, sem grande absorção na superfície da derme (local onde há maior concentração de melanina).

Por fim, é importante lembrar que todos os tratamentos de manchas na pele negra devem ser acompanhados por profissionais especialistas, a fim de que o problema não se torne mais grave. Dessa forma, é possível garantir a segurança e a eficácia das técnicas utilizadas.

E aí, gostou do texto? Quer ler mais sobre a pele e seus cuidados? Então continue no site e leia nosso texto sobre os tipos de pele!

Rejuvenescimento íntimo: entenda mais sobre esse assunto

Todos sabem que cuidar de nossa saúde deve ser prioridade em nossas vidas. Assim como qualquer outra parte do seu corpo, a região íntima também precisa de atenção especial, pois, conforme a idade avança, ela sofre algumas variações que podem comprometer sua estética ou a sua funcionalidade. Por esse motivo, algumas mulheres optam por fazer o rejuvenescimento íntimo.

Esse tipo de procedimento ajuda a paciente a melhorar a sua qualidade de vida, bem-estar e autoestima. Mas você sabe como o rejuvenescimento íntimo funciona? Quais são seus benefícios e riscos?

Se não, pode ficar despreocupada, pois vamos explicar tudo neste post. Continue a leitura para conhecer detalhes sobre esse procedimento que tem ganhado a preferência de inúmeras mulheres.

O que é rejuvenescimento íntimo?

O rejuvenescimento íntimo é uma associação de técnicas que tem como objetivo cuidar da saúde e estética da região ginecológica. No que diz respeito à saúde, a procura se dá por conta dos sintomas pós menopausa, climatério e pós parto.

Estes sintomas são: da falta de lubrificação, infecções urinárias de repetição, dispareunia ( dor durante o ato sexual), incontinência urinária entre outros. Quanto ao aspecto estético as melhorias são: clareamento, melhora da flacidez, diminuição da projeção de pequenos lábios visando deixar a mulher mais atraente.

Quais são os principais tipos de rejuvenescimento íntimo?

Na clínica da Dra. Thaís Pepe, , são realizados todos os tipos de rejuvenescimento íntimo, mas, para facilitar o seu entendimento, resolvemos destacar os mais comuns, que oferecem ótimos resultados.

Rejuvenescimento vaginal à base de laser de Erbium

O laser de Erbium trata todo o canal vaginal, períneo e genitália externa. Ele renova a mucosa do canal, melhorando a lubrificação, sensibilidade, incontinência urinária grau leve e promove clareamento.

O nome comercial do aparelho que ultilizamos é Fotona.

Rejuvenescimento com radiofrequência

A radiofrequência promove neocolagênese deixando a área com mais firmeza, melhorando o tênus vaginal, sensibilidae e estética, retraindo pequenos lábios. Os nomes comerciais destes aparelhos sõa: Thermiva, Exilis.

Preenchimento vaginal e bioestimulaçao de colágeno

Conforme o processo de envelhecimento assim como a face e corpo a genitália sofre flacidez, deixando os grandes labios “murchos” aumentando a projeção de pequenos labios.

Os preenchimentos e bioestimuladores de colágeno devolvem o volume adequado deixando a região mais atraente.

Quais são os seus benefícios?

Os problemas na região íntima da mulher podem trazer muitos transtornos na sua vida pessoal, deixando-as constrangidas. Por esse motivo, o rejuvenescimento íntimo tem como objetivo revitalizar a região ginecológica, recuperando a auto estima das mulheres e combatendo o ressecamento e a falta da líbido e, também, melhorando as questões estéticas e funcionais.

O tratamento da região uroginecológica deve ser multidisciplinar, com diagnóstico e indicação correta feitoz por urologistas e ginecologistas além dos dermatologiastas.

Por que procurar esse tipo de procedimento?

A procura pelo rejuvenescimento íntimo vai de mulheres de 20 até 70 anos. Cada uma com seus motivos, pois isso depende se a paciente quer tratar apenas a estética (eliminar só a flacidez ou escurecimento) ou, então, se já tem sintomas de menopausa (diminuição de libido, flacidez, ressecamento, incontinência urinária etc.).

Enfim, as alterações hormonais podem causar variações genitais em qualquer fase da vida das mulheres. No entanto, alguns outros fatores influenciam as clientes a procurarem esse tipo de tratamento — além dos que citamos até aqui: tabagismo, obesidade, cirurgias, histerectomia, má nutrição, entre outros.

Em relação à funcionalidade, a procura se dá porque a falta de lubrificação e flacidez causam ferimentos e dores no ato sexual. Há, também, a possibilidade do surgimento de algumas doenças de repetição, como vaginose e candidíase.

Existem riscos nesse procedimento?

Os riscos estão ligados à escolha do local e dos profissionais, pois estamos falando de procedimentos que devem ser feitos por profissionais experientes, porque há riscos de queimaduras, hipercromia e até necrose, se o preenchimento for realizado de qualquer maneira, sem os cuidados necessários. O pós desses procedimentos é tranquilo. Se for usada a radiofrequência, as atividades sexuais podem ser feitas até no mesmo dia, assim como quaisquer outras atividades. Mas, se tiver sido aplicado o laser de Erbium, é recomendada uma semana de abstinência, mas nada muito desconfortável.

Se você sofre com algum desses transtornos que citamos neste texto, saiba que o rejuvenescimento íntimo pode melhorar a sua qualidade de vida e devolver a sua autoestima e autoconfiança.

Quer ter acesso a esse e outro tipos de tratamentos estéticos com a segurança de que está em boas mãos? Entre em contato conosco para conhecer nossos serviços!

 

Os 3 tipos de alergia na pele mais comuns

As alergias na pele podem se manifestar de várias formas. Em geral, os casos são acompanhados de vermelhidão e coceira, mas — na maioria das vezes — o problema pode ser resolvido com medidas simples ou mesmo desaparecer sem que nada seja feito.

Entretanto, algumas condições podem evoluir para complicações graves que oferecem perigo à vida. Por isso, é muito importante estar atento aos sinais mostrados por cada um dos tipos de alergia cutânea, com o intuito de saber o que fazer para reverter os sintomas, sempre de acordo com as orientações de um médico.

Que tal conhecer um pouco mais sobre os 3 principais tipos de alergias na pele? Então, acompanhe este artigo até o final!

1. Urticária alérgica

Essa é o tipo mais comum entre as alergias na pele. Ele se manifesta na forma de placas avermelhadas — e causa bastante coceira. Embora seja desconfortável, é quase sempre inofensivo. Assim como as demais alergias, não é transmitido de uma pessoa para outra.

O problema pode aparecer em qualquer parte do corpo e, em geral, os sintomas são autolimitados, ou seja, desaparecem espontaneamente. O diagnóstico é clínico, porém, podem ser solicitados testes cutâneos e exames de sangue para confirmação do quadro.

Causas

A urticária alérgica aparece após o contato com uma substância que desencadeia a alergia — o alérgeno. Veja os estímulos mais comuns que atuam como gatilhos do problema:

  • alimentos (frutos do mar, ovos, nozes e outros);
  • pelos de animais;
  • picadas de insetos;
  • tecidos;
  • maquiagem e cosméticos;
  • medicamentos (antibióticos, anti-inflamatórios, anti-hipertensivos e outros);
  • poeira.

Em muitos casos, a origem não é alérgica. Diversas doenças infecciosas — gripe, faringite e mononucleose — podem causar o aparecimento das manchas vermelhas e coceira na pele.

Além disso, os sinais podem aparecer após exposição ao calor ou frio, exercício físico ou pressão na pele, causada por elástico ou roupas justas, por exemplo. No entanto, os sintomas também podem surgir sem que o fator desencadeante seja identificado.

Controle

O primeiro passo para tratar a urticária alérgica é suspender o contato com o agente que desencadeou os sintomas. Dessa forma, as lesões tendem a desaparecer gradativamente. Além disso, podem ser usados medicamentos anti-histamínicos orais para aliviar os sintomas.

Uma recomendação importante é evitar coçar a pele para prevenir a formação de feridas e não deixá-la suscetível às infecções ou marcada por cicatrizes. Quando o incômodo é grande, um banho com água em temperatura mais baixa ou compressas frias podem aliviar o desconforto.

2. Angioedema

Assim como a urticária, o angioedema pode se manifestar na forma de coceira e rash cutâneo. Porém, por atingir as camadas mais profundas da pele e as mucosas, o problema é mais grave e causa outros sintomas, tais como:

  • inchaço nos lábios, em torno dos olhos, mãos, pés e região genital;
  • dor e calor no local inchado;
  • problemas para respirar;
  • erupções cutâneas;
  • cólicas abdominais.

Causas

Diversos fatores podem desencadear o angioedema:

  • hereditariedade (mau funcionamento do sistema imunológico);
  • alergia a medicamentos, alimentos, picadas de inseto e outras;
  • fatores ambientais, como calor, frio, pressão, suor e estresse;
  • doenças autoimunes e infecciosas;
  • disfunções da tireoide;
  • alguns tipos de câncer.

O risco de aparecimento do angioedema é maior em pessoas que já tiveram um quadro prévio de urticária e são reexpostas ao alérgeno que desencadeou a resposta inicial.

Controle

O angioedema é um problema comum e, nos casos mais brandos, o tratamento é similar àquele indicado para a urticária, ou seja, é preciso se afastar do agente que causou a manifestação e usar alguns medicamentos orais, se necessário.

Contudo, em situações mais graves, essa alergia pode trazer risco à vida. Isso acontece quando o inchaço afeta as vias respiratórias ou há a manifestação de asma grave. Além disso, o problema pode evoluir para o choque anafilático, uma condição potencialmente fatal em que a reação alérgica é muito intensa e disseminada.

Nesses casos, é preciso buscar atendimento hospitalar imediatamente, uma vez que a evolução dos sintomas costuma ocorrer rapidamente. O tratamento de urgência é feito com medicamentos injetáveis com o objetivo de interromper a reação alérgica.

3. Dermatite de contato

Como o nome sugere, essa alergia na pele é desencadeada pelo contato com alguma substância que provoca uma reação local. É um problema de saúde simples, que pode ter origem alérgica ou não.

Conheça alguns sintomas da dermatite de contato:

  • grandes placas vermelhas na pele;
  • coceira;
  • ressecamento da pele ao redor da lesão;
  • bolhas contendo ou não fluido;
  • inchaço;
  • queimação.

Causas

A dermatite de contato alérgica é uma resposta imunológica que algumas pessoas sensíveis apresentam a determinados produtos. Entre eles, podemos destacar:

  • sabonetes, xampus e condicionadores;
  • perfumes e desodorantes;
  • maquiagem e cosméticos;
  • preservativos e luvas (devido ao látex);
  • bijuterias e metais (principalmente o níquel);
  • plantas;
  • curativos;
  • medicamentos.

Alguns produtos contêm substâncias abrasivas ou irritantes que causam reações após o contato. Nesse caso, não há um fundo alérgico. Por isso, falamos em dermatite de contato irritativa.

Em outras situações, as lesões são causadas pela interação do produto na pele com a ação dos raios solares. Quando isso acontece, a reação é conhecida como dermatite por fotoexposição.

Controle

O tratamento convencional para o problema envolve o uso de medicamentos na forma de pomadas ou cremes, que serão aplicados diretamente sobre as áreas afetadas pelas lesões. Além disso, podem ser prescritos remédios orais e outras formulações tópicas com antibiótico para evitar o estabelecimento de infecções.

Os casos mais sérios de dermatite de contato podem ser tratados com fototerapia — procedimento em que são usadas luzes especiais com ação anti-inflamatória e imunossupressora. Com isso, a manifestação alérgica é “desligada”.

Pronto! Agora você já sabe quais são as principais alergias na pele. Conhecer as manifestações de cada uma delas é essencial para estabelecer o tratamento, porém, apenas um médico pode indicar quais medidas são mais eficazes para combater essas e outras doenças de pele.

Este post foi útil para você? Então, acesse nosso site e não deixe de conhecer melhor o seu tipo de pele e identificar quais são os cuidados para deixá-la sempre linda!

7 aplicações do tratamento com radiofrequência que você precisa conhecer

Você tem vontade de realizar um tratamento estético, mas tem receio do procedimento utilizado? Saiba que o tratamento com radiofrequência é uma das grandes tendências e pode ajudar você a alcançar o que deseja. Além de ser uma técnica alternativa às cirurgias, que muitos acham invasivas.

É um método versátil, eficaz e seguro, visto que conta com equipamentos de última geração para acelerar a eliminação de toxinas, reconstruir as fibras e proporcionar uma aparência mais jovial. Consiste na geração de calor no tecido que fica embaixo da pele e dura entre quatro a seis sessões quinzenais, dependendo da intensidade do problema apresentado.

Acompanhe a leitura e confira sete aplicações do tratamento com radiofrequência que você precisa conhecer.

1. Flacidez da pele

Por ser uma técnica alternativa às cirurgias estéticas, a radiofrequência é muito procurada para o combate da flacidez, seja facial ou corporal. É importante contextualizar que a flacidez ocorre pela falta de fibras que sustentam a pele de maneira correta.

Por isso a preferência pelo tratamento, pois ele tem a capacidade de aumentar a produção dessas fibras, tais como colágeno e a elastina. Costuma ser indolor e os resultados são perceptíveis logo nas primeiras sessões realizadas, independentemente do tipo utilizado para reparar o problema.

Para se ter uma ideia, a radiofrequência injetável tem por caraterística ser minimamente invasiva, pois age sob a pele por meio de uma pequena sonda térmica. Recomenda-se a sua aplicação em partes como a testa, pálpebras, seios, braços, abdômen, culote, coxas, boca, entre outras.

2. Estrias

É inegável que as estrias são um dos grandes motivos de preocupação estética, pois muitas pessoas ficam tímidas e constrangidas de curtirem uma praia, por exemplo, por conta daquelas linhas que aparecem sobre a pele. Esses sinais arroxeados, rosados ou brancos podem surgir devido a um estiramento que ocorre no tecido, inclusive bem comum na época da gravidez.

radiofrequência com microagulhamento é a mais indicada para situações como essa, visto que melhora a circulação do fluxo sanguíneo. Suas pequenas agulhas, aliadas a um sistema eletromagnético vigoroso, fazem com que regiões como as coxas, os seios, o abdômen e o quadril fiquem durinhos e, assim, melhorem a autoestima.

3. Cicatriz de acne

Talvez você não saiba, mas o aparecimento de acnes, as populares e irritantes espinhas, podem surgir por conta da má alimentação, predisposição genética e até mesmo o uso excessivo de cosméticos. O péssimo hábito de espremer os cravos e as espinhas é que gera as temidas cicatrizes no rosto.

Com isso, quem opta por reparar esse problema com a radiofrequência consegue suavizar essas marcas e, consequentemente, deixar a pele saudável e jovem. Para esses casos, recomenda-se também o modo de microagulhamento, pois promove um aquecimento na pele de dentro para fora e proporciona a contração do colágeno.

4. Celulite

Embora apareça também nos homens, a celulite é considerada uma das maiores inimigas para a beleza e saúde feminina. Esse problema acontece por decorrência do acúmulo de gordura entre as fibras e que pode ser desenvolvido pela alimentação desregrada, pelo metabolismo lento, pelas alterações hormonais etc.

Com a tecnologia avançada da radiofrequência, as aplicações fazem com que haja uma redução dessa inflamação nas células e melhore a circulação da região tratada. Isso contribui significativamente para que coxas e nádegas, por exemplo, não fiquem com aquele aspecto indesejável de uma casca de laranja.

5. Gordura localizada

Sabendo que esse tipo de procedimento é benéfico para estrias e celulite, é certo que ele também soluciona o caso da culpada por esses dois males: a gordura localizada. Quem se preocupa com a saúde sabe o quanto incomoda ver aquele “pneuzinho” surgindo de repente, não é verdade?

As ondas de calor geradas pelo equipamento chegam com eficácia nas células de gordura e proporcionam uma melhora gradativa nas regiões afetadas, como barriga, braços e a temível papada. Além disso, o metabolismo retorna às suas funções naturais e potencializa a distribuição eficaz dos nutrientes pelo corpo.

6. Rugas

Com o passar dos anos, existem algumas imperfeições faciais que ficam mais evidentes e irritantes, é o caso das rugas. Elas aparecem por consequência da contração facial que fazemos quando sorrimos, ficamos bravos, demonstramos tristeza, entre outros.

Geralmente, as rugas surgem ao redor dos olhos, na região entre as sobrancelhas e na testa, sendo que, ao decorrer do tempo, as finas linhas de expressão podem virar vincos profundos e preocupantes no rosto. O envelhecimento do corpo faz com que a produção de elastina fique um tanto escassa e deixe a pele com esse aspecto.

Sendo assim, a utilização da radiofrequência, por ser uma técnica simples que não requer cortes ou gere lesões, torna-se um excelente tratamento para rugas finas e profundas. A partir das sessões, você vai reparar uma elasticidade maior em sua pele e, naturalmente, o estímulo de tecidos jovens.

7. Partes íntimas

Por fim, mas não menos importante que os demais itens desta lista, o tratamento com radiofrequência pode trazer também ótimos benefícios para a região genital. Com a chegada da menopausa, dentre os sintomas mais comuns é possível perceber o surgimento de uma secura vaginal, o que colabora para que haja certo desconforto durante as relações sexuais.

A radiofrequência para as partes íntimas é manuseada de forma controlada e homogênea, a fim de não apenas remodelar os pequenos e grandes lábios, mas retomar a lubrificação e trazer a sensibilidade sexual de volta. Além disso, o método é capaz de reparar a flacidez e fortalecer os músculos da região íntima.

Para finalizarmos, lembre-se dos principais cuidados que você deve ter com a saúde, como a ingestão de líquidos, a prática de exercícios físicos regular e uma dieta balanceada. Não esqueça também que qualquer procedimento requer a orientação de profissionais capacitados, assim como o tratamento com radiofrequência, pois contribuirá para que tenha um atendimento de qualidade.

Ficou interessado e quer saber mais detalhes sobre esse e outros métodos? Então, entre em contato com a gente para que possamos dar todo o suporte necessário sobre dermatologia clínica e, contribuir para o seu bem-estar e saúde do corpo.

Agende sua consulta